23 de março de 2012

Missões, a tarefa prioritária da Igreja

Oswaldo Smith, conhecido como o “Sr. Missões” foi aos 18 anos trabalhar numa tribo indígena no Alaska, depois disso sua vida mudou radicalmente. Escreveu o livro “O Clamor do Mundo”, dentre outros como "O Clamor das Almas", fontes para redação deste artigo. Foi quando descobriu que deveria ser um pastor “enviador” e fundou uma igreja em Toronto, no Canadá; seu sonho antes de morrer era que sua igreja sustentasse 400 missionários nos campos transculturais, porém, quando morreu em 1986, sua igreja contribuía com 850 missionários espalhados pelo mundo. Somente no ano de 1992, foram arrecadados $2.5000 para missões. É necessário buscar o amor que esse homem possuia pelos povos não alcançados.
   
Mt 24:14 – afirma que o Evangelho precisa ser pregado a todas as nações.

Missões, de acordo com a Bíblia, não é uma opção. Não é uma possibilidade. Missões não fazem parte apenas de mais uma opção de ministério. Apocalipse 7:9 precisa ser cumprido:

"Depois destas coisas olhei, e eis uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estavam em pé diante do trono e em presença do Cordeiro, trajando compridas vestes brancas, e com palmas nas mãos;"

Mc 16:15 precisa ser vivido. "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura." 
 
    Precisamos de pessoas para orar, incentivar, ir e contribuir. É urgente que oremos por missionários, como o inglês Hudson Taylor, que ainda jovem e sem concluir a formação em medicina, foi para o interior da China como missionário. Perdeu seus dois filhos pequenos e sua esposa em terras estrangeiras. Quando morreu, havia mais de 300 missionários da Inglaterra na China, aconteceu que milhares de chineses abandonaram o Budismo e se converteram a Jesus.
    Hudson Taylor  disse certa vez que: “A obra de Deus começa difícil, torna-se impossível e então é feita”. Há algumas razões para missões serem prioritárias na Igreja. Neste artigo analisaremos uma delas:

Missões é a tarefa prioritária da igreja porque “a visão de Deus é mundial”.
    A obra mais importante da igreja não é construir prédios, manter ministérios internos ou eventos. Sua maior tarefa é a Evangelização do mundo! Discipular gente de todo o povo, tribo, língua e nação, para a glória de Deus.
     O famigerado texto de João 3:16 diz que quando Deus amou, amou o mundo. Quando deu seu Filho, deu-o pelo mundo! Quando Jesus morreu, morreu pelo mundo! A visão divina é cósmica; é universal. É uma visão de mundo e essa é a visão que Ele quer que tenhamos. Certo escritor foi assertivo quando disse: “A tarefa toda, de toda Igreja, é dar o Evangelho todo, ao mundo todo”
    Quantos de nós enxergam apenas os próprios interesses, a cidade, a vizinhança, a igreja local? Há aqueles que se preocupam com o bairro ou a cidade. Isso é excelente, mas ainda não é essa a visão que Deus quer que tenhamos. Existe aqueles  que se preocupam com o País, isso é ótimo, pois têm uma expansão maior na visão. Ainda assim essa não é a visão de Deus. Finalmente, há aqueles que enxergam o mundo, como Deus enxerga; nossa visão deve ser a visão de MUNDO porque essa é a visão de Deus. Não basta nos preocuparmos com as nossas próprias vidas. Somos 7 bilhões de habitantes no planeta e muitos nunca ouviram falar de Jesus Cristo.
    O Uruguai é o país mais ateu da América Latina. Que tal trocar sua viagem de férias, por uma viagem de férias missionária  no Uruguai? Se não vamos aos povos não alcançados, então precisamos enviar alguém em nosso lugar. Por que Deus estaria mais interessado em nós do que em outras nações? Por que nos sentimos tão valorizados em nossa perspectiva? Por que imaginamos que somos mais importantes que o resto do mundo? Seria Deus um exclusivista xenofóbico? Seria Deus brasileiro? Claro que não! É o Deus cósmico, que tem um amor universal.
    Deus amou o mundo, e essa deve ser a tarefa da igreja. O que faremos com o texto sagrado de Ezequiel 3:17-19? Resta-nos procurar glorificar a Deus anunciando o Evangelho desde o vizinho da rua, até os confins da terra. Somente assim a igreja viverá segundo sua razão de ser: glorificar a Deus anunciando o Evangelho a todas as nações.