28 de novembro de 2013

SAÍ DA IGREJA - E AGORA?


“Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia”. Hebreus 10:25 (NVI)

A maior igreja evangélica no Brasil é a dos desigrejados. Foi-se o tempo que uma pessoa permanecia numa mesma comunidade do nascimento à morte. Por motivos variados – sem entrar em detalhes - dos mais fúteis problemas de relacionamento aos mais graves escândalos levam pessoas a desistirem da comunidade de fé que construíram em suas mentes idealizadas. A idealização romântica e superficial no coletivo social dos revoltados que desistiram de suas comunidades para viverem como hippies alternativos demonstra infantilidade e falta de conhecimento bíblico.
Não existe cristão avulso. A igreja é imperfeita e formada por pecadores indignos, porém é santificada pelo Salvador por sua graça e misericórdia. Você não pode ser cristão sozinho. Alguém disse - não recordo o autor - que "o coração não é uma ilha". Alguém que enxerga apenas os defeitos daqueles que fazem parte de uma igreja local são como aqueles – para você que é desse tempo – que davam mais atenção ao chiado dos discos do que à música do vinil. Contemplar a Jesus Cristo como ideal de perfeição é justo e bíblico, mas já para a igreja esse olhar é equivocado. Nossas aspirações e sonhos sobre a igreja deveriam ser alicerçados em pilares bíblicos, como o amor por exemplo.
Saia da sua igreja! Espere, não o faça sem antes ler o restante. Saia dela, SOMENTE, se ela não for bíblica. Desista dela se o púlpito não é levado a sério, se Deus é mercadejado ou a fé é banalizada como moeda de troca para sua satisfação pessoal. Fuja dessa igreja local se sua visão majoritária é a felicidade do homem e não a cruz de Jesus Cristo. Saia de sua igreja se ela se gira em torno dos eventos e não das pessoas. Mas ainda assim, você não poderá ser cristão sozinho. Tal como uma ostra acolhida numa concha, o cristão não pode se isolar para viver seu mundinho religioso longe das inevitáveis crises relacionais. Por isso, aconselho antes, esquivar-se do ostracismo religioso e acolchoar-se na colcha de retalhos que é a igreja, composta por muitos “Thiago’s” imperfeitos e fracos.
Caso você esteja procurando uma igreja que seja um Éden das pinturas renascentistas, composta por seres alados e angelicais que nunca lhe decepcionarão, então, sugiro que desista. A igreja não é esse imaginário que você construiu. Ela é pastoreada por um pastor Perfeito (1 Pe 5) – Jesus Cristo, é claro – mas está cheia de falhas. Você encontrará numa igreja local que é séria a paixão fervorosa por Deus, Sua vontade (as Escrituras) e pelos perdidos. Embora, também, encontrará outros Demas (Cl 4:14; Fl 1;24 e 2 Tm 4:10), Alexandre - o ferreiro (2 Tm 4:14), Diótrefes (3 Jo 1:19) e outras carnes de pescoço. Sim! Eles foram citados nas Escrituras como parte da igreja. É difícil de engolir que Deus permita tanto lodo em meio às águas cristalinas nas quais mergulhamos. É complicado para nós, que já não suportamos nossas próprias fraquezas, lidar com as dos outros. Para pessoas assim, a igreja não serve.
Ouvi de um experiente consultor de empresas, crente e acostumado a treinar pessoas, que aquelas que possuíam dificuldades para conviver em comunhão na igreja local eram as mesmas protagonistas dos problemas de relacionamento nas empresas. Conclui-se, portanto, que pessoas que possuem alto grau de dificuldade em viver em comunidade não conseguirão trabalhar em equipe, desenvolver relacionamentos para evangelizar ou sequer, desfrutar de unidade em família. Portanto, se uma igreja imperfeita não serve, nenhum outro grupo social servirá para agradar às exigentes expectativas elaboradas pelos que preferem “desigrejar-se”.

Concluo, apresentando alguns conselhos pastorais para ajudá-lo:


  •   Ore a Deus e peça amor, paciência e longanimidade para lidar com as pessoas na igreja.
  •   Nem pense em viver no isolamento social ou exercer a sua fé sem o relacionamento com os irmãos que são membros do Corpo de Cristo.
  •   Não saia da sua igreja por motivos banais. Os problemas vêm e vão. O amor permanece.
  •   A igreja brasileira está do jeito que está – desfragmentada – porque não faz discípulos saudáveis. Por isso, viva o discipulado e você não terminará sozinho no fim da vida!
  •   Se você está fora da casa do pai, volte! Há um braço estendido, um anel de honra, sandálias como sinal de boas vindas e um banquete esperando você (Lc 15).

Um comentário:

  1. Muito bom o seu artigo. Parabéns. Nunca deixe de escrever.uma palavra certa pode acender novamente uma expectativa positiva em relação ao futuro espiritual.

    ResponderExcluir

A alegria de todo blogueiro é ver seus textos comentados, mesmo que criticados. Comente aqui!