8 de agosto de 2013

Pais brilhantes

“Disse-lhe, porém, o anjo: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, a quem darás o nome de João. Em ti haverá prazer e alegria, e muitos se regozijarão com o seu nascimento”. Lucas 1:13-14   

Temos nesse texto a família perfeita: Pai sacerdote, mãe sacerdotisa e filho profeta. Não poderia ser melhor! João seria um grande homem, equilibrado e Cheio do Espírito Santo. Mas tudo começa com a vida dos pais e não com os filhos. Para avaliar o caráter e a vida de João Batista é precisamos olhar para os seus pais. Pais brilhantes, tementes e fiéis a Deus. Que ensinavam pelo exemplo, não apenas pelas palavras. Afinal, pais brilhantes são semeadores de idéias e não controladores dos seus filhos. Cativam seus filhos pela sua inteligência e afetividade, não por seu autoritarismo, dinheiro ou poder. Não impõem seus conceitos, mas dão o exemplo. Isabel e Zacarias eram assim. Aprendamos, portanto, um pouco sobre eles.

 Nos dias de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote chamado Zacarias, do turno de Abias. Sua mulher era das filhas de Arão e se chamava Isabel. Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor”. Lucas 1:5-6

Vivemos dias em que os pais são ausentes. Trocam o diálogo pela TV. Os pais não imaginam o quanto a criatividade, a felicidade, a ousadia e a segurança do adulto dependem das matrizes da memória e da energia emocional da criança. Não compreendem que a TV, os brinquedos manufaturados, a Internet e o excesso de atividades obstruem a infância dos seus filhos. “Esperávamos que os jovens desta era fossem solidários, empreendedores e amassem a arte de pensar”, diz Augusto Cury. Mas muitos vivem alienados, não pensam no futuro, não têm garra e projetos de vida. Estou, particularmente, decepcionado com esta geração, com algumas exceções.
Como conseqüência da desestrutura familiar, os pais começaram a ouvir tais afirmações dos filhos, ainda na puberdade: - “Pai, estou usando maconha”! - “Mãe, estou grávida. - “Pai, eu quero um piercing na língua”. -“Mãe, sou gay; este aqui é meu namorado”. “Pai, quero uma tatuagem no bumbum”. Não se assuste, acho até que estou sendo comedido e simplório, embora cômico. Você tem o direito de discordar de mim se quiser, me chamar de moralista religioso e até dizer: “quero ver como será com o nascimento do seu filho”. A verdade dói.

Tudo está mais precoce. Crianças que namoram, adolescentes que dirigem sem habilitação; filhos tomando decisões que os pais deveriam tomar. Não é incomum encontrarmos pais cristãos com atitudes permissivas. A inversão de valores fomentada pela cultura moderna é absurda e assustadora. Mas não posso culpar as crianças, os jovens e adolescentes pelos fatos citados acima. Não posso apenas responsabilizar a liderança de jovens da igreja. O grande epicentro do problema e da solução são os pais. Somente pais brilhantes, exemplares e piedosos podem salvaguardar o futuro da posteridade.
Aos pais, digo: sejamos brilhantes como Zacarias e Isabel, pois, “Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor”. Aos filhos, assevero: seus melhores amigos estão dentro de casa, v.6! Honre-os.

Augusto Cury em seu livro Pais brilhantes, professores fascinantes (Editora Sextante) fala de sete hábitos dos bons pais e dos pais brilhantes. Achei oportuno compartilhar tais lições nesta data especial:

1.    Bons pais dão presentes, pais brilhantes dão seu próprio ser
2.    Bons pais nutrem o corpo, pais brilhantes nutrem a personalidade
3.    Bons pais corrigem erros, pais brilhantes ensinam a pensar
4.    Bons pais preparam os filhos para os aplausos, pais brilhantes preparam os filhos para os fracassos
5.    Bons pais conversam, pais brilhantes dialogam como amigos
6.    Bons pais dão informações, pais brilhantes contam histórias
7.    Bons pais dão oportunidades, pais brilhantes nunca desistem

Que vocês sejam grandes, equilibrados e cheios do Espírito Santo para que seus filhos o sejam também.

Com amor,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A alegria de todo blogueiro é ver seus textos comentados, mesmo que criticados. Comente aqui!