7 de abril de 2012

Missões, a tarefa prioritária da igreja - 2ª parte

Ilustração: Certa vez um irmão chinês, depois de haver conhecido a Jesus através de Hudson Taylor, disse: - Hoje tenho Jesus e tenho paz verdadeira em meu coração. Há quanto tempo seu povo conhece o Evangelho?” -“Há mais de 100 anos”, disse Taylor. -“E por que só foram nos falar do Evangelho agora? Tantos já morreram sem conhecer. Vocês deveriam ter vindo antes ou então enviado alguém!” 

OUTRA RAZÃO PELA QUAL FAZER MISSÕES É A TAREFA PRIORITÁRIA DA IGREJA: PORQUE GLORIFICA A DEUS.
Você já parou para pensar, sobre o porquê nos reunimos sempre para cultuar a Deus no ajuntamento público? A resposta é simples: porque fomos criados para a Glória de Deus. O objetivo do Diabo, como força maligna que se opõe a vontade do Criador, é tirar o ser humano desse propósito: a glória de Deus. Precisamos ser apaixonados por ela. O Catecismo Menor de Westminster, afirma o seguinte: “O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre”. 
            A igreja glorifica a Deus quando prega o evangelho, desde o vizinho até os confins da terra. O Evangelho de Mateus 13:38 deixa claro que “o campo é o mundo”. Se a igreja perder a convicção de que ela é semente jogada no mundo para crescer e gerar frutos (vidas), para a glória de Deus, então deixará de ser igreja.
            Em Apocalipse 5 João vê um lindo culto ao Cordeiro Ressurreto, em que Cristo é glorificado. Esse culto pleno, formado por gente de todo povo, raça, tribo, língua e nação, será cósmico e multicultural. Isso agrada e glorifica a Deus!

SE MISSÕES É A TAREFA PRIORITÁRIA DA IGREJA ENTÃO VOCÊ É UM MISSIONÁRIO     
            O pastor revolucionário Martin Luther King asseverou: “Quem não tem uma causa pela qual morrer não tem motivo para viver”. Não importa qual seja sua profissão ou ocupação. Em qualquer lugar você pode exercer um ministério bivocacionado,  servir a Deus e anunciar o Evangelho entre os amigos, vizinhos, colegas de trabalho e de estudo, enfim, aqueles não conhecem o Evangelho. Essas pessoas podem ter ouvido falar de apresentações sincréticas e místicas do Evangelho, porém elas precisam ter um encontro real com Jesus e de uma apresentação honesta e profunda do Evangelho. Ele é o teu próximo e Deus pedirá contas disso. Li uma postagem numa rede social recentemente: “O fato de você ter um piano em casa não faz de você um pianista, assim como o fato de você ir a igreja, não faz de você um cristão”. Todo cristão é um missionário e isso precisa estar claro em nossas mentes.
           Gosto do nosso lema: “fazendo discípulos no Reino de Deus” (slogan da igreja que pastoreio – www.ipibariri.com.br). Afinal, fazer missões não significa dar porções do Evangelho ou demonstrações minúsculas sobre os planos de Deus. Ao contrário, significa plantar uma semente (o Evangelho) e regá-la arduamente para que amadureça e produza frutos para a Glória do Pai; ou seja, além de pregar precisamos ensinar e discipular -  Mt 28:18-20.
           Concluindo, fazer discípulos (seguidores de Jesus) não é prerrogativa dos missionários ou pastores. Todo cristão foi responsabilizado por Jesus Cristo e Ele nos pedirá contas quando voltar – Mt 24:14. Não é tarefa exclusiva dos que partem para outras nações. Precisamos anunciar o Evangelho (e para isso devemos conhecê-lo) desde “Jerusalém (...) e até os confins da terra”. Desde o meu vizinho, até o mundo; dos guetos marginalizados às elites dominantes - Atos 1:8.
            Para que a glória de Deus se espalhe pela terra, eu preciso ir. Oswald Smith disse: “Você deve ir ou enviar um substituto”. Se não estou disposto a isso, devo então incentivar, orar ou contribuir por quem vai em meu lugar anunciar o Evangelho. Assim serei coparticipante na construção do Reino e na expansão da luz entre as trevas, para a Glória de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A alegria de todo blogueiro é ver seus textos comentados, mesmo que criticados. Comente aqui!