14 de junho de 2011

Estamos em guerra! A família bombardeada pelos setores midiáticos

     "Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder".
    Você está convocado para a guerra! O Dr. M. Lloyd Jones disse, no seu renomado livro O Combate Cristão: “A vida cristã é uma guerra. Somos estrangeiros em terra alheia e estamos no território do inimigo”. A batalha é travada entre as ciladas (metodhai=estratégias ou métodos) arquitetadas pelo inimigo e a família. A família é instituição divina. Deus disse: "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra ..." (Gn 1:28). Deus tem lindo projeto para ela: que seja preservada, unida, célula do corpo de Cristo e exemplo para a sociedade. É indubitável que famílias estruturadas formam uma boa sociedade.
O presente século tem valores ético-morais que tentam obstruir o caminho proposto por Deus para a família. As novelas televisivas procuram promover a falsa idéia de que casamento não é necessário e deve durar pouco; que relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são “normais” e uma tendência; e que infidelidade conjugal é uma questão habitual; quem não concorda com esses valores é taxado autocraticamente de “preconceituoso”.
      Enquanto tentamos pastorear as famílias entre visitas, cultos e eventos da igreja local, há centenas de mensagens detestáveis invadindo nossas casas e ensinando nossos filhos a viverem uma vida promíscua, sem responsabilidades e longe de Deus. Nossos jovens são atraídos pelos programas de “namoros” relâmpagos e sites de relacionamentos. Muitos acabam vitimados por relações frustradas. Nossas crianças são vilipendiadas através de desenhos e programas que enaltecem a violência, a sexualidade precoce, a falta de altruísmo e a rebeldia. A inversão de valores fomentada pela mídia é gritante e assustadoramente sádica.
        Paulo escreve uma de suas cartas com preocupação enfática sobre a família e os problemas sociais do seu tempo: Efésios. O apóstolo está na prisão, em Roma, redigindo um dos textos que mais enaltecem os bons valores cristãos. A Supremacia de Cristo, a graça para os judeus e gentios, a conduta moral do cristão, a vida em comunidade, o relacionamento conjugal e entre pais e filhos, a autoridade na sociedade e a luta contra as estratificações espirituais do mal são assuntos ressaltados na carta. Sugiro que você leia o capítulo 6 da carta aos Efésios. A preocupação com a família dá a tônica da carta. É muito nítido que o cristão deve estar com os relacionamentos e a espiritualidade em ordem para entrar no Combate que todo Filho de Deus enfrenta (Ef 6:10ss). Nossa luta não se dá contra seres humanos e sim contra as forças do mal, personificadas, hierarquizadas e bem organizadas. Jhon Macarthur disse: “O diabo não é tão burro. É organizado”! Estamos convocados para uma guerra “Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” Toquem a trombeta, soem os tambores, convoquem os valentes, pois estamos em batalha contra o mal e seu alvo de ataque é a família, núcleo e quartel general dos bons soldados de Cristo.
Outro texto bíblico que nos chama a atenção se encontra em Romanos 12:1. “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
       A palavra mundo do texto pode ser traduzida por “era” ou “cultura predominante”. Isso significa que não podemos ter por regra os valores impostos pelos setores midiáticos. Outro termo que se ressalta no verso supracitado é o transformai-vos, proveniente do grego = methámorfou, que significa: transformação, metamorfose, transfiguração. Ou seja, é preciso reagir aos princípios nocivos absorvidos pela sociedade através de uma mente transformada pela maturidade espiritual. Ainda e não menos importante, assinalemos o verbo experimentar, que deve ser apropriadamente traduzido por “discernir” que conota discriminar, descobrir e conhecer. Nesse sentido, o texto nos exorta a não vivermos em conformidade com os padrões desta Era e a mudar a mente a partir do discernimento da vontade de Deus revelada em sua Palavra. Só assim a boa, agradável e perfeita vontade de Deus será descoberta, assimilada e introduzida no comportamento cristão.
    Não podemos demonizar a utilização da televisão, internet e outros meios. Entretanto devemos advertir sobre os perigos para a família embutidos nos meios de comunicação. É necessário proteger a instituição mais singular da criação. O controle remoto está em nossas mãos, o mouse também. O combate cristão é exercido com maturidade e destreza na aplicação correta da Palavra da Verdade. A armadura do soldado de Cristo, com a qual devemos nos revestir é um comportamento irrepreensível (Ef. 6:14-18) e que desestabiliza os ataques do inimigo. Você aceita essa convocação? Diga "sim" no espaço abaixo e faça seu comentário.